Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 31 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
304. → Se o sentido trabalha, quem mais do que Ela é → o artesão das coisas que existem? Sb 8, 6. 304. Se a Prudência atua e produz uma obra, quem é mais artificioso do que ela na constituição das coisas?


  • Se o sentido trabalha, etc. - Se é possível realizar e efetuar algo pelo sentido, a razão, a prudência, o intelecto e a arte, quem portanto é, ou poderá ser tido como mais artificioso do que Ela (que dá, sabe, compreende e opera Tudo nas coisas da Natureza?
  • O artesão - Porque ela é (como prova a experiência) a realizadora de todas as coisas que são ou realizam os Bens, quer na Natureza, quer na vida.

    Tu confiarás a ela portanto a direção de Ti próprio, e também no teu Oratório e no teu Laboratório; de modo que o Espírito familiar te governe, te ensine, te conduza, te guarde e te dê com largueza, de bem conhecer, querer, ser e poder em Todas as Coisas.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 31 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 30 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
303. E → se são desejadas as riquezas na vida, o quê de mais rico que a Sabedoria → que fez todas as coisas. Sb 8, 5. 303. Que se a possessão das riquezas é desejável nesta vida, o quê de mais rico que a Sabedoria, por quem todas as coisas foram feitas?


  • Se são desejadas as riquezas, etc. - Não contudo para que tu te orgulhes ou para que tu faças mundanamente qualquer coisa imunda; mas afim de que tu vivas honestamente e de que tu sejas o Elemosinário ou distribuidor das esmolas de Deus, e neste grande hospital, provendo ao teu Próximo necessitado.

    Se tu escolhes para esse fim as riquezas, procura a Sabedoria verdadeira; ela dar-te-á pelos sábios labores das tuas mãos, no Laboratória da Sabedoria, de onde, por tua vez, poderás também dar, como Deus. Ver os versículos 291, 317 e 319.

    As riquezas obtidas pelos trabalhos da Sabedoria, são um Dom de Deus (versículo 326).
  • Que fez todas as coisas - Porque ela é Tudo em Todos e em Todas as coisas (versículo 299).

    O sentido destas poucas palavras é muito vasto, e mesmo infinito. Exerce Teo-Soficamente os trabalhos do Espírito segundo a Doutrina deste Anfiteatro; tu obterá maravilhas. Ver o versículo 137.

    Pela cognição, possessão e fruição destes, os verdadeiros Filósofos desprezarão o mundo imundo.

    Recordemos esta frase do Romano Morien: Todos aqueles que têm Tudo com eles, não têm necessidade da ajuda dos outros.

    E Teofrasto Paracelso: Aquele que pode ser dele próprio não é de outro.

    É a liberdade dourada.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 30 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 29 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
302. (Porque) → ela é Doutora da Disciplina de Deus, eleitora das suas obras. Sb 8, 4. 302. Porque ela é hábil e iniciada na ciência de Deus e eleitora das suas obras.


  • Ela é Doutora, etc. - Doutora, eleitora e inventora da ciência das obras de Deus, e como uma Sacerdotisa ou Mestra artificiosíssima tanto dos mistérios da Sacro Santa Escritura e dos segredos da Natureza que é preciso procurar e encontrar, como da Disciplina quer dizer do Temor de Deus (versículo 14, 5, e 208).

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 29 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 28 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
301. → Quando as vias dos seres humanos (homo) forem aprovadas pelo Senhor, ele converterá também à paz os seus inimigos. Pr 16, 7. 301. Quando as vias dos seres humanos (vir) forem aprovadas pelo Senhor, ele tornará também pacíficos os seus inimigos.


  • Quando as vias dos seres humanos forem aprovadas, etc. - Afim de que tu agrades ao Senhor, caminha nas vias da Sabedoria (versículo 7).

    Porque ninguém ama Deus senão aquele que habita com a Sabedoria (versículo 300).

    E então o Senhor forçará os teus inimigos a formar a paz contigo; ou ele dispersá-los-á pelo Espírito do seu poder, como está dito (Sb 11, 21).

    É por isso que Achor, chefe dos filhos de Ammon (Jt 5, 17 e 19), dizia: Ninguém insultou este povo senão quando ele se afastou do Senhor seu Deus.

    E todas as vezes que eles fizeram penitência, por se terem afastado do culto do seu Deus, Deus deu-lhes a força para resistirem.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 28 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 27 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
300. Porque → Deus não ama ninguém, a não ser aquele que habita com a Sabedoria. Sb 7, 28. 300. Deus não ama ninguém, a não ser aquele que habita com a sabedoria.


  • Deus não ama ninguém, a não ser, etc. - Esta frase do Sábio atingiu (eu atesto diante de Deus) a minha alma quando eu a li.

    Bom Deus, o que é isto? Deus não ama ninguém a não ser aquele que habita com a Sabedoria; que caminha nas suas vias; que ama Deus com todo o coração e o seu Próximo como a si próprio; que acima e antes de todas as coisas procura o reino de Deus; que teme Deus e opera a justiça; quer dizer o Teósofo que só ele é a residência da Sabedoria verdadeira, obedecendo à sua mirifica soberana, tendo-se dado todo inteiro (de Corpo, de Espírito e de Alma) só a ela e servindo-a; ou pelo menos procurando-a (versículo 1). Ela procura todas as pessoas.

    Ninguém pode servir dois mestres: a Sabedoria Eterna e o mundo imundo.

    Há o costume de dizer, neste estudo tão devoto e tão santo, tão honestamente frutuoso, para o próximo e para nós próprios: Quando o mundo é amigo (Freund), Deus é inimigo (Seind), e vice versa (Tg 4, 4).

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 27 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 26 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
299. E visto que (A Sabedoria) é → uma, → ela pode Tudo, e permanente nela própria, renova todas as coisas; e → transfere-se → entre as nações nas Almas santas e constitui → os Amigos de Deus e → os Profetas. Sb 7, 27. 299. Visto que ela é Única, ela pode tudo, subsistindo nela própria, ela renova todas as coisas, e transferindo-se em cada época nas almas santas, forma os Amigos de Deus e os Profetas.


  • Uma - Ela é única, verdadeiramente católica do Deus um, omnipotente, quer dizer universal; é por isso que ela pode Tudo em Todos e em Todas As Coisas.

    É uma coisa maravilhosa, digna de observação, que por essa razão ela pode Tudo visto que ela é Uma ou única.

    Ó maravilha acima de todas as maravilhas, Tri-Uma, Universal (versículo 303).
  • Entre as Nações, etc. - Deus não faz acepção de pessoas; mas ela é recebida dele em todas as raças, povos ou nações que o temem e realiza a Justiça (quer dizer declínio do mal e realização do bem, Sl 37 e 27). Atos dos Apóstolos 10, 35 e 35. Isto é a Religião Católica (versículo 184). É o que o Eclesiastes 12, 13, entende por todas as pessoas.

    Aquele que se colocar sob a sua sujeição, mesmo se, vivendo sob a lei antiga, não foi circuncido ou na lei nova não foi batizado (eu falo daqueles que viveram ou vivem fora da Assembleia visível da Igreja; porque não é a privação dos sacramentos que condena, mas o desprezo; e o Batismo não se dá apenas pela água, mas pela chama, quer dizer o Fogo do Espírito do Deus admirável cujas vias são imperscrutáveis e que nós devemos admirar; porque nada daquilo que é formado à imagem e à semelhança de Deus é abandonado) será feito Amigo de Deus e participante da Sabedoria verdadeira; pela eficácia da Sabedoria Eterna do Omnipotente, da Misericórdia que devia (antigamente) encarnar-se, e que se encarnou (na plenitude do tempo) quer dizer de Jesus Cristo que devia ser e foi crucificado, do Salvador Católico em todos.

    Os exemplos podem ser dados, não pagãmente, não impiamente, apesar de entre os Pagãos ou ímpios se encontrem inúmeros.

    Estes, se não tivessem sido amigos de Deus nunca teriam possuído, pela graça Divina, os tesouros inesgotáveis da Sabedoria (cuja enumeração se encontra aqui e ali neste Prólogo).
  • Transfere-se - Ela é portanto verdadeiramente (como nós o alegamos mais elevada segundo Capnion) o Spiraculum de Deus e a Ilustração Divina, dada por Deus, enviada e não aprendida por qualquer arte humana; apesar de que eu não desaprove certas cerimónias Teo-Soficas, quer dizer Divino-Mágicas, feitas com vista de a obter de Deus, das quais é soberanamente nefasto de falar publicamente.
  • Os Amigos de Deus - Visto que um amigo, como disse retamente Cícero no livro da Amizade, é como um outro si próprio, é verdadeiro igualmente como ensina Capnion no livro de Verbo Mirifico, que o ser humano unido a Deus é quase um Deus humano ou um ser humano Divino. Ver o versículo 293.

    Tu poderás, meu irmão, tendo sido feito amigo de Deus, cheio da influência da Luz e do Movimento do Espírito da Sabedoria, tu poderás, digo eu, atrair a ti mesmíssimo (que a inveja esteja longe deste discurso) e por devotos ou Hermes Trismegisto, ou Bezeleël, Achaliab, Pitágoras, Sócrates, Platão, Demócrito, Hipocrates, Geber, Calid, Haly, Morien, Parménides, Homero, Virgílio, Ovídio, Raimundo Lulle, Arnaldo Villeneuve, Isaac, Ulmannus, Bernardo o Treviso, Paracelso, Zachaïre, etc., de modo que tu não terás mais que procurar a ajuda ou o conselho dos seus livros e dos seus manuscritos dos quais anteriormente, devido à tua ignorância, tu eras admirador.

    Porque tu bebes no mesmo Oceano da Sabedoria que todos os Sábios; é por isso que assim como até aqui tu tens seguido outros, assim mais tarde tu será tu próprio seguido.

    Tu serás ensinado pelo Pimandro, quer dizer o Espírito da Divina potência (Teo-Didaticamente), de modo que tu poderás dizer com David, no capítulo 23 do 2º Livro dos Reis (Samuel), versículo 2: O Espírito do Senhor falou por mim e o seu discurso está sobre a minha língua.

    Os Filósofos não são autores, mas apenas intérpretes da Natureza e do seu Grande Livro; uns estão mais penetrados que outros; mas cada um segundo aquilo que lhe foi dado.

    Porque se todos os livros e manuscritos destes filósofos fossem completamente destruídos, no entanto, as Ciências e as Artes poderiam ser restituídas por este método Teo-Sofico.

    Porque quem foi o primeiro a ensinar, tendo-se tornados amigos, Ele e tu, ele ensinar-te-á amigavelmente porque ele quer, porque ele prometeu-o; ele deu-te sempre sem nunca te abandonar; portanto ele pode sempre dar.

    E se como ensina por escrito certo homem douto e devoto, Miguel Neander, um jovem de dezasseis anos pode humanamente, pelo seu método tornar-se num perfeito Filósofo Académico; quanto é preferível de se submeter àquele de quem vem todo o bem e que é o distribuidor dos dons, afim de que tu te tornes (como ensinam numerosos exemplos) pelo seu método Cristiano-Cabalístico e Divino-Mágico um Teósofo perfeito e absoluto. Ver os versículos 10, 187, 342.

    Ó Sabedoria de Iahweh, Hhochmahél, cujas delícias são de estar com os filhos dos homens (versículo 157).

    Lava-me (versículo 222) e eu serei purificado; sê minha; rejubila em mim e junta-te à minha alma afim de que eu seja amigo de Deus, que eu me rejubile em ti, e que eu transmigre todo em Deus.
  • Constitui os Profetas - Aqueles que recebem as revelações Divinas, e os seus intérpretes que predizem as coisas futuras, são realmente chamados Profetas ou Vaticinadores.

    Portanto os Profetas são induzidos a profetizar pelas aparições e as instituições dos Anjos, pelos enigmas, as figuras; por um verbo claro e expresso, pelo sopro interno do Espírito de Deus, tanto acordados com a dormir, imediatamente e mediatamente, e recebendo os oráculos de Deus. Ver Números, capítulo 12 e a figura quarta deste Anfiteatro.

    Tu dirás: Como distinguirei eu o espírito? Escuta; A discrição dos Espíritos é um Dom de Deus (1Cor 10, 19).

    Os sinais do Espírito bom são a Verdade com a qual Deus sela tudo o que é dele (porque é a Verdade, selo de Deus, que tu Comprarás, figura primeira deste Anfiteatro) e a Piedade, porque o estudo da verdadeira piedade conduz todos os seres humanos à observância do Deus um; os sinais do Espírito do Mal são a Mentira e a Sedução que afastam do Deus Verdadeiro, e apesar de, por vezes este espírito aconselhe, diga e faça o verdadeiro, nunca os seus sinais combatem (quanto à utilidade e ao fim) com a Lei divinamente reportada na Sacro Santa Escritura, na Natureza e na nossa Consciência. Sobre isto vê e lê o capítulo 13 do Deuteronómio.

    Tudo aquilo que tu fazes, realiza-o Teo-Soficamente, e considera Deus, a Caridade do próximo e a consciência limpa; isso é agir prudentemente e encarar o fim.

    Tu objetarás: Esse maldoso velhaco que se transforma em Anjo de Luz e seduz os imprevidentes e os simples, intrometer-se-á sempre entre os Bons.

    Eu respondo: nós sabemos pelo verbo de Deus que é o dever dos Bons Anjos de Deus de defender dos seus inimigos os devotos e aqueles que temem Deus, e de guardá-los de todo o mal (Sl 34, 8): Ele enviará o Anjo do Senhor para o circuito daqueles que o temem e ele os libertará.

    Salmo 35, versículos 4, 5 e 6: Que sejam confundidos e cobertos de vergonha aqueles que procuram a minha alma. Que sejam derrubados e confundidos aqueles que pensam coisas más contra mim. Que eles se transformem em poeira na face do vento, quando o Anjo do Senhor os pressionar. Que a via deles seja escorregadia e de trevas, quando o Anjo do Senhor os perseguir.

    E o Salmo 91, versículo 10 e seguintes: O mal não terá acesso perto de ti e a calamidade não se aproximará do teu Tabernáculo. Porque ele recomendou-te aos seus Anjos afim de que eles te guardem em todas as tuas vias. Eles levar-te-ão nas suas mãos com receio de que tu magoes os teus pés numa pedra.

    Eu caminho portanto confiando-me a eles e rezando a Deus, e observando Deus responder-me-á.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 26 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 25 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
298. → E eu aprendi todas as coisas que são absconsas e imprevistas; → porque a Sabedoria, operária de todas as coisas, me ensinou. Sb 7, 21. 298. E eu conheci mesmo todas as coisas que estão escondidas e não ainda reveladas, porque a Sabedoria, operária de todas as coisas me ensinou.


  • E eu aprendi todas as coisas que são absconsas e imprevistas - Misticamente, arcanamente, secretamente na Sacro Santa Escritura, na Natureza e por fim na vida comum.
  • Porque a Sabedoria, operária de todas as coisas, me ensinou - Tanto mediatamente como imediatamente por revelações, e dormindo e acordado; mesmo por oráculos.

    E por quem, por quais meios, eu peço-te, ou como? Tu receberás uma resposta suficiente, em todo este Prólogo, passim, e na figura quarta deste Anfiteatro.

    Ensina-me, eu te conjuro, Ruach Hhochmahél, Espírito da Sabedoria de Deus (versículos 1 e 223), porque eu desejo, eu escolho, eu tenho sede de ser ensinado, instituído e informado só por ti (a partir de agora, como até ao presente).

    Tu que és perscrutador dos mistérios de Deus, investigador dos segredos escondidos da Natureza, e mesmo de todas as coisas que são absconsas e imprevistas, eu te aviso fraternalmente, digo eu, de nunca te aproximares dos Espíritos malignos nigromânticos, familiares e diabólicos, que se transformam em Anjos de Luz (2Cor 11, 14); foge, foge (eu aconselho-te) desses; com o estudo da Sabedoria verdadeira virão a ti todos os Bens (versículo 291).

    Procura-a só e unicamente pela Lei e pela Doutrina deste Anfiteatro. Deixa a sabedoria negra com o seu infernal mestre.

    Aprende a procurar Danielicamente as revelações das coisas escondidas junto de Deus, cujo método encontrarás, no capítulo 2, 17 e seguintes de Daniel. Item, na figura quarta deste Anfiteatro.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 25 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 24 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
297. → As naturezas dos animais e → os instintos violentos das bestas e → a força dos ventos e → as cogitações dos seres humanos, → as diferenças dos arbustos e → as virtudes das raízes. Sb 7, 20. 297. As naturezas dos animais, os instintos violentos das bestas, a força dos ventos e as cogitações dos seres humanos, as diferenças das plantas e as faculdades das raízes.


  • As naturezas dos animais - Ver o que se segue.
  • Os instintos violentos das bestas - Os acessos de ferocidade das bestas selvagens.

    Alguns invertem a disposição tomando o género pela espécie. Porque thumoeidês, Animus, é aquela parte, nas bestas como nos ser humanos, na qual está a sede da cólera (iracundia), o que se entende por: força irascível, nas bestas.
  • A força dos ventos - As gerações, as propriedades, as virtudes e operações dos ventos; a salubridade ou insalubridade do Ar.
  • As cogitações dos seres humanos - Isto, mesmo na nossa época (eu atesto e a Sabedoria ela própria) foi concedido pela Sabedoria verdadeira a alguns seres humanos devotos e bons (entre os quais a coluna do Império Romano) (?) não ignorados por mim, mas quase familiares, por intermédio dos seus pedisseques fiéis e amados, quer dizer as Ciências e Artes excelentes mais secretas (versículos 64 e 190) e Teosóficas; eu poderia prová-lo com testemunhos verdadeiros e certos, se não os reservasse para um lugar mais cómodo, para a Chave secretíssima, talvez, deste Anfiteatro.

    Mas dirás tu (como no versículo 264), Deus apenas que é kardiognôstês, escrutinador dos corações, conhece estas coisas.

    É verdade. O Sábio ele próprio responder-te-á sabiamente no versículo 268.
  • As diferenças dos arbustos, etc. - A Doutrina da Assinatura das coisas naturais (que é a Arte Hermética) está bastante bem no seu lugar aqui; porque pelos sinais indicativos Divinamente impressos e fixos nelas, elas falam aos seres humanos, declaram-lhes as faculdades e as forças e expõem-se a eles tais como são.

    Foi por esta ciência que foi conduzido Adão, o primeiro pai de nós todos, e ele impôs a todos os seres animados da Terra e todas as aves do Céu, os seus nomes essenciais e próprios (Gn 2, 19).

    Foi com a sua ajuda que Salomão (a luz da Natureza tendo-se levantado nele) pôde disputar sobre os vegetais, desde o cedro que está sobre o Líbano até ao hissope que sai da muralha, e dissertar sobre os animais domésticos e os pássaros e os répteis e os peixes (3Rs 4, 33).

    Aquele que recusa aprender este Alfabeto Físico-Médico no livro da Natureza permanecerá zarolho (monoculus) e claudicante na medicina. Foi a ele que Filipe Teofrasto Paracelso (que é verdadeiramente o Asclepiades germânico como testemunha realmente Pedro Ramus) tirou das trevas do esquecimento e repôs muito frutuosamente na luz: João-Batista Porta, Napolitano explicou-o doutra maneira nos Fitognomónicos; eu (depois de Paracelso, o primeiro de todos, e os Fitognomónicos de Porta não sendo ainda conhecidos nem vistos na Germânia) ensinei-o e defendi-o publicamente no Ano de Cristo 1588, no vigésimo quarto dia de Agosto, em vinte e oito teses impressas ao prosseguir (Iahweh soberano ajudando) o grau de Doutor em Medicina, sobre o conselho e decreto do amplíssimo colégio Médico na Academia de Basileia; e eu defendê-lo-ei com todas as minhas forças para a glória e honra do Deus admirável (com a ajuda dele próprio) enquanto eu viver.

    Não são bagatelas que ensina o Físico ao tratar das Assinaturas das coisas naturais; mas são bagatelas pelo contrário que vendem os bagatelistas.
  • As virtudes das raízes - A análise Físico-Química pode consideravelmente prestar socorro nisto.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 24 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 23 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
296. → As mutações dos costumes e as divisões dos tempos, o circuito dos anos e a posição das estrelas; Sb 7, 19. 296. → O curso do ano e as disposições das estrelas,


  • As mutações dos costumes, etc. - dos Temperamentos dos corpos humanos que variam, se movem e se inclinam de acordo com a disposição e a constituição do Céu e das Constelações.

    E mesmo as ações dos seres humanos são tornadas por elas próprias mais fáceis ou mais difíceis porque todas as coisas que estão sob o Sol têm o seu tempo particular destinado a certas ações.
  • O curso do ano - Os círculos ou circuitos dos anos e as posições dos Astros.

    E essa conversão repetida do Sol que forma os anos, a que se chama vulgarmente revolução dos anos.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 23 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 22 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
295. → O começo e a consumação e o meio dos tempos, as permutações das vicissitudes e as consumações dos tempos, Sb 7, 18. 295. O começo, o fim, o meio do tempo, → as vicissitudes dos solstícios, e → a variedade das estações,


  • O começo e a consumação - Isto pelos Astros, como num Alfabeto Celeste, pode ser lidos e sabido por um Mestre exercitado na Astronomia e na Astrologia.
  • As vicissitudes dos solstícios - As mutações das versões, quer dizer as conversões do Sol que são duas; uma invernal pela qual ele começa a aproximar-se de nós; a outra estival, quando ele cessa de progredir para mais longe, mas começa a retornar para os Círculos inferiores (que foram encontrados, para grande vantagem do estudo).

    Os dois solstícios são chamados êliou tropai, versões do sol, de onde os trópicos tiraram o seu nome.
  • A variedade das estações - As comutações dos tempos. Consulta aqui as Efemérides do Ar de Mizaldus e o Prognosticom Meteorographicon perpetuum de Scultetus.

    Idem, as observações e a prática de Sauwern. Não falta nada para cada tempo.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 22 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 21 de Outubro (Tabela)



[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 21 de Outubro (Tabela)

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 21 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
294. → Ele próprio deu-me a Ciência verdadeira das coisas que são; → afim de que eu saiba → a disposição do Globo das Terras e → as virtudes dos Elementos. Sb 7, 17. 294. Porque Deus deu-me a cognição verdadeira das coisas que estão na Natureza, afim de que eu compreenda a constituição do Mundo e a força dos Elementos.


  • Ele próprio deu-me - Ver acima o versículo 187.
  • Afim de que eu saiba - Quem, quais e quantas coisas? Não somente os mistérios das coisas Divinas, mas verdadeiramente Tudo, como será demonstrado de seguida.

    E como? perguntarás tu ainda. Imediatamente, responder-te-ei eu, e mediatamente seguindo a muito livre vontade de Deus; e ainda Teo-Soficamente, Fisicamente, Físicos-Medicamente, Físico-Quimicamente, Físico-Magicamente, Hiperfísico-Magicamente, Cabalisticamente, segundo a Lei e a Doutrina de todo este Anfiteatro.

    As palavras que eu trouxe são pouco numerosas; contudo o seu sentido difunde-se por si próprio ao longe.

    Tu pedes Definições; verdadeiramente eu dou-tas.

    A Teosofia é a Teologia, no Ternário (quer dizer Biblicamente, Macro e Micro-Cosmicamente), Católica, Mirifica, de Iahweh o Admirável (versículo 157. A voz de Deus em Tudo, por Tudo, de Tudo, a Tudo, versículo 35).

    A Física é a cognição e a negociação de um e do outro Mundo, quer dizer o Maior na totalidade e o Menor (segundo o Corpo e o Espírito que ele recebeu do Macrocosmo) pela Tradição, a Natureza e a Arte, Universalmente, por e na Sacro Santa Escritura, na Pedra dos Filósofos e em nós; Particularmente por e nas partes de um e do outro.

    A Físico-medicina é a arte de conhecer o grande Livro da Natureza (Macro e Micro-Cosmicamente); afim de que tu possas ler (tanto universalmente como particularmente) Tu próprio no mundo maior e vice-versa, o Mundo maior em ti próprio; para conservar a saúde do corpo humano e expulsar dele os males (versículo 297).

    A Físico-química é a arte de dissolver quimicamente pelo método da natureza, de purificar e de reunir convenientemente as coisas Físicas; o Universal (Macro-Cosmicamente a Pedra dos Filósofos; Micro-Cosmicamente as partes do corpo humano; que se evite lançar calunias sobre a primeira destas figuras) e os particulares, Todas as Coisas do globo inferior.

    A Magia dos Vetustíssimos Sábios (chamados Magos pelos Persas, Filósofos pelos Gregos, Sábios pelos Latinos, Brâmanes pelos Indianos ou Gimnósofos segundo a expressão grega; Sacerdotes e Mecubales pelos Egípcios, Profetas e Cabalistas pelos Hebreus, Caldeus pelos Babilónicos e mesmo os Assírios, Druidas, Bardos e Semnotei pelas Celtas gauleses) Universalmente praticada é semelhante ao estudo da Cabala pelos Hebreus, soberanamente perfeita e absoluta visto que ela consistia devotamente e sabiamente no culto dos Seres Divinos, a negociação com os Seres espirituais e a conversação com eles, e a investigação das coisas naturais; Embora que estas últimas, os Hebreus, tenham precedido consideravelmente os outros neste exercício, por intermédio do seu Guia mais que benfazejo.

    E a Físico-Magia (a obra única de Beresith, quer dizer da Sabedoria da Natureza, versículo 162) é o método mirifico para praticar a Arte Natural (Macro e Micro-Cosmicamente).

    A Hiperfisico-Magia (assim chamada em consideração da Doutrina Natural) é a devota e útil conversação, tanto acordado como a dormir, mediatamente e imediatamente, com os Anjos bons, esses seres resplandecentes, ministros de Deus, segundo a administração que lhes foi delegada por Deus.

    A Cabala é a simbólica Receção, Teo-Soficamente saída do destino, da Revelação Divina para a salvífica agnição de Deus e do Maschiah, para a cognição, a união e a fruição das Formas que foram separadas da Natureza (no Macro e no Micro-Cosmo) e de nós próprios; e mesmo para a intelecção verdadeira da Sacro Santa Escritura; ou imediatamente, ou pelo mediador conveniente (pelo qual nós possamos conhecer os seres divinos) tanto Universalmente como Particularmente.

    Eis-te instruído. Este nosso Anfiteatro, Filosoficamente explicado dá abundantemente aos filhos da Doutrina as Exposições necessárias e suficientes (com a ajuda de Deus) a seu tempo.

    Fica contente com o que está aqui presentemente; guarda-te de caluniares aquilo que ignoras.

    Um Homem ilustre e muito vertido nas ciências mais comuns (mas cujo nome calarei para conservar a sua honra) emitiu nos seus poemas os julgamentos mais frios e mais severos sobre a Magia, a Alquimia e a Cabala: Ein jeder judicirt von einem dinge wie er es verstehet, quer dizer: Cada um julga sobre todas as coisas de acordo com aquilo que ele compreende delas.

    Esses merecem antes a misericórdia do que a repreensão. Porque os seus escarneceres não prejudicam nada a verdade; visto que eles atingem mais os abusos (o que não apaga a substância da coisa) que o uso legítimo e verdadeiro, como se a fraqueza do artesão se devesse estender à indignidade da arte.

    Pelo mesmo método, poder-se-ia realmente observar vestígios de Heresias nas Santas Escrituras (mas onde com justa razão?).

    Eu Acrescento: Qualquer um perguntará: Donde tomas tu aquilo que nos propões neste teu Anfiteatro? Eu respondo ingenuamente com o nosso Sábio (e mesmo com tanto mais boa vontade porque darei satisfação a certos Aristarcas; não contudo que eu queira pretender algo arrogantemente por mim próprio, o que eu afirmo na melhor e mais solene forma do direito): Deus Deu-ma, A Mim (o mais ínfimo de todos os Filósofos); Eu Recebi-a Do Senhor, tanto imediatamente como mediatamente.

    E como portanto, eu peço-te que me digas? perguntarás tu ainda.

    Eu vou dizer-te. Tu ouviste-o mais acima, quer dizer Teo-Soficamente, Fisicamente, Físico-Medicamente, etc., como acima.

    Porque eu, inflamado pelo fogo Divino e por um grande ardor de perscrutar as coisas altíssimas, eu procurei e examinei por mim próprio e por outros (por empção ou comutação, etc.) conforme a ocasião ou o tempo permitiram poder fazê-lo, todos os monumentos esculpidos, pintados ou escritos (neste país ou no estrangeiro) dos Filósofos dos diversos povos, tanto vetustíssimos e antigos como Neotéricos, simbolicamente ou misticamente, hieroglificamente, figurativamente, enigmaticamente, parabolicamente, alegoricamente, arcaicamente, secretamente ou manifestamente; eu folheei, reli e reli outra vez os Livros dos Teo-Sofos, dos Cabalistas, dos Magos, dos Físico-Químicos, quer dizer dos verdadeiramente Sábios, e mesmo dos Sofistas e daqueles, não iluminadas, que têm filosofado Pagãmente; e com votos e suspiros lícitos e permitidos ao cristão, eu optei, invoquei, orei, e só aquele que é digno, Jesus a Sabedoria do Pai me abriu (a coisa fala por si própria) não apenas os livros que eu enumerei, mas ainda o Livro de Deus no ternário Católico que é a Sacro Santa Escritura e o Mundo, um e o outro, maior e menor; ele quebrou os selos deles (versículo 223 e figura segunda deste Anfiteatro) de modo que, agora ainda ele me explica e me interpreta dia após dia este Livro dos Livros.

    Desde o décimo quinto ano da minha vida eu elaborei infatigavelmente na oficina de Vulcano, com despesas (certamente) não mínimas, no entanto (graças a Deus) eficazes; só e com companheiros, fiéis a mim, por vezes infiéis, às vezes destramente, às vezes sinistramente; porque qual é o bem que nunca comporta algum mal? Uns ensinaram-me, outros prejudicaram-me.

    Eu observei o que a Natureza me tinha ensinado (pela Arte obstétrica); ó frutuosíssima Cabala Físico-Química!

    Eu anotei cuidadosamente os meus sermões, os meus labores e não somente os conceitos que o meu espírito pressentia, mas também os dos outro.

    Quando vocês dormiam profundamente, ó preguiçosos, eu velava laborando.

    Eu meditei com cuidado, de noite e de dia sobre tudo o que eu tinha visto, lido, ouvido, aprendido; em pé, sentado, andando, deitado, à luz do Sol, da Lua, nas margens ou nos rios, nos prados, nas montanhas, nos bosques, nas florestas, ou mesmo à luz da lâmpada ou da vela de cera, no quarto onde eu tinha posto a queimar perfumes (para recrear os espíritos animais do cérebro), movendo-me pateticamente; eu vivi e conferenciei (porque eu penso que é necessário aprender não ineptamente de todas as pessoas) com as pessoas velhas e os jovens, com os Religiosos e os laicos (eu não falo de maneira pueril ou senil mas cientificamente), com os Príncipes e com aqueles que nasceram na alta nobreza; com os doutos e os indoutos, os simples e aqueles que estão cobertos com uma pele de raposa, os prudentes e os insipientes; com os rústicos e os idiotas, os ricos e os pobres; com os Teo-Sofos e os Teo-Sofistas, os bons e os maus, os brancos e os pretos; (para pelo menos me informar e não para aprovar, porque o mal não está na ciência mas só o uso prejudica) com aqueles que estão exercitados na teoria e nas contemplações, depois com aqueles que são peritos na prática; com os mecânicos dos quais frequentemente visitei as oficinas, So wol mit den weit und tieffgelehrten (tanto com aqueles que têm o espírito espesso e afastado de qualquer ciência) com os marinheiros assim como com os montanheses (porque é preciso acreditar que cada um é perito na sua arte): als hochgelehrten (como com os doutíssimos); com os Judeus, os Cristãos, os sectários e mesmo os ateus; eu escutei-os a todos, não desprezando nenhum; eu fiz boa cara para aqueles (de acordo com o conselho muito útil de Raymond Lulle) que vão pelo mundo; porque podem-se encontrar bens não mínimos junto de qualquer algum; porque (digo a verdade) sob a púrpura, a seda e o brocado esconde-se frequentemente a loucura; e pelo contrário eu encontrei mais de uma vez alguma Sabedoria sob o vestuário sórdido.

    Não tenhas vergonha do Sábio pobre ou de quem está mal vestido eu aconselho-te; socorre o necessitado, tu não te arrependerás nada.

    Eu consultei Deus Teo-Soficamente e eu vi-o falar-me e responder-me na Sacro Santa Escritura, na Natureza e em mim próprio; e com advertências e sob a condução do seu santo Espírito, eu tive o dom da discrição dos Espíritos (S. Paulo, 1Cor 12, 10) e o sentido e a discrição do bem e do mal (S. Paulo, Hb 14) afim de que eu retivesse o que era Bom (que eu proponho) e que eu rejeitasse o mal (que eu expurguei).

    Eu peregrinei muito tempo; eu visitei aqueles que eu acreditava saberem algo pela sua experiência ou valer pelo seu julgamento firme, e não sempre em vão; porque por Iahweh, benigno para comigo, movendo assim os seus corações, dispondo-os e inclinando-os, eles disputaram e conferenciaram amigavelmente comigo e sem véus das coisas místicas mais secretas (felizes, alguns, por terem encontrado o filho da Doutrina, atento e alterado da verdade) eles permitiram-me sem se arrependerem que eu percorresse os Museus e as Bibliotecas, que eu contemplasse os Laboratórios, que eu inspecionasse os seus labores e confessaram fraternalmente que eles os tinham procurado durante um número de anos com grandes despesas e trabalhos de Hércules; eles deram-me em puro dom preparações (entre as quais, eu atesto Deus, por uma ordenação admirável, eu obtive de um deles o Leão Verde católico de Deus, e o Sangue do Leão, quer dizer o ouro, não o vulgar, mas dos Filósofos; eu vi-o com os meus olhos, toquei-o com as minhas mãos, saboreei-o com a minha língua, cheirei-o com as minhas narinas; ó quanto Deus é admirável nas suas obras!) preparações, digo eu, das quais eu fiz um frutuosíssimo uso para com o meu próximo sofredor, nos casos desesperados, e eles revelaram-me sinceramente os meios para os preparar (pela inspiração da misericórdia de Iahweh).

    Assim importa, de acordo com a doutrina de S. Paulo, 1Ts 21, de tudo experimentar e de reter o que é bom.

    Assim importa-me aprender, aprender mais, e filosofar; porque a mínima parte daqueles que estão nas Universidades das Academias, aprende e ensina.

    É na Universidade de Deus, Peripateticamente quer dizer circumambulatoriamente que devemos estudar e aprender.

    É o método admirável pelo qual Deus Admirável se dá a mim; é esta via pela qual (como eu sei muito certamente e não por simples opinião) eu caminhei (versículo 28 e 157).

    Quem mo deu? Deus só, digo eu; imediatamente e mediatamente; depois ainda por subdelegação a Natureza, o Fogo, a Arte, os Mestres, tanto vivos como mudos, os bens corporais e espirituais, acordado e dormindo (versículos 32 e 157).

    É por isso que, em humildade cristã eu canto com razão com reconhecimento com a Bem-aventurada Virgem: Ele fez para mim grandes coisas, ele o poderoso, Lc 1, 49.

    E digo com o Profeta Real: O Senhor é Miserador e Misericordioso, Longânime e muito misericordioso. Ele não continuará sempre irritado nem ameaçará na eternidade. Ele não agiu para conosco segundo os nossos pecados nem os retribuiu segundo a nossa iniquidade. Porque ele corroborou a sua misericórdia sobre aqueles que o temem, como a altitude da Terra ao Céu. Tanto o Oriente está distante do Ocidente assim tanto ele afastou de nós as nossas iniquidades. Como faz misericórdia o pai dos filhos, o Senhor é misericordioso para aqueles que o temem. Porque ele sabe do que somos feitos, ele recordou-se que nós somos apenas poeira. Sl 103, 8 e seg. (vulg. 102).

    Crê firmemente que é verdadeiro e certo que temendo Deus tu nunca perderás o seu nome, que pela penitência cristã (que é o temor de Deus e o afastar-se do mal, versículo 159) renasces constantemente do pecado.

    Se alguém, por acaso, se ofendesse daquilo que eu escrevo e ensino aqui, poderia reportar-se aos Laboratórios filosoficamente instruídos, ver os trabalhos da Arte e da Natureza e seguidamente compreender as formas, as essências e as propriedades das coisas antes de escrever, rebentando de inveja, qualquer que de ineptíssimo for contra os arcanos de Deus e a Luz da verdade.

    Corolário: O Rei Geber (como se pode ver no seu livro da Divindade) após ter realizado diversamente e em vão numerosos, variados e penosos trabalhos em Alquimia foi finalmente Divinamente instruído pela visão de um sonho (o que é muito fácil para Deus realizar e não impossível de obter para o Crente, em Orando e Laborando Teosoficamente) da matéria única, verdadeira, na tri-unidade católica, da Pedra Católica e única dos Filósofos (porque podem existir realmente tantas Pedras quanto coisas, que podem ser consideradas especialmente, mas no entanto não são especiais, particularmente e não são particulares. O Universal vem do universal; o particularismo é um solecismo).

    O Autor do grande Rosário descreveu toda a obra até à conclusão apesar de não ter considerado apropriado de se estender para além do tempo do Leão; eu sei, diz ele (ensinado pela Influência Divina, e conduzido pela Luz da Natureza), que a Obra chegará necessariamente a uma tal substância.

    E é impossível de saber isto, se não de sabê-lo por Deus ou pelo Mestre que ensina.

    Bernardo, Conde da Marca Trevisana tendo usado o mesmo método de aprender que eu próprio, praticou a arte durante dois anos antes de o conduzir, pelos seus trabalhos, à perfeição absoluta.

    O bom Lombardo de Ferrara que escreveu a Nova Pérola preciosa, antes de ter completamente preparado a Bem-dita Pedra Católica, diz no capítulo 15 da obra citada: Nós vimos os livros de vários Sábios, e nós estudamo-los tanto quanto nos permitiu o nosso módico génio, apesar de só nos termos entregue raramente à operação e ao trabalho, etc. Veja-o a ele próprio.

    Também Dioniso Zacarias e vários outros correndo no mesmo estádio reportaram (a Divina Clemência favorecendo-os) a coroa de vitória (brabkion).

    Porque importa que neste estudo a Doutrina preceda a experiência e não o contrário; sigamos os exemplos de Rhasis, de Avicena e dos outros filósofos que nos reportaram por escrito que eles a tinham eles próprios conhecido antes de a terem experimentado, por uma cognição subtil, veemente e longa.

    É por este método que eu descrevi e que Deus me deu (porque não declararia eu a verdade sem nenhuma glorificação), que eu sei e escrevo; Ele que opera Tudo em Todos deu-me a Sabedoria afim de que eu saiba algumas coisas dos segredos místicos e arcanos da Sacro Santa Escritura e do Mundo, um e outro; e embora eu não esteja no supremo grau, eu presto humildemente graças a Deus por aquele ao qual eu cheguei (versículo 4).

    Porque a cada um, diz S. Paulo aos Romanos, 12, 7, é dada a manifestação do espírito para a utilidade, etc.

    Porque é um único e mesmo Espírito que opera todas essas coisas, dividindo-se em cada uma conforme ele quer, e cujo Nome seja Abençoado nos séculos dos séculos. Todas as coisas têm o seu tempo, Eclo 3, 1.

    Foi tempo até aqui de aprender pelo método acima citado; é tempo agora para servir à minha memória, de escrever, pintar e anotar; será tempo em último lugar (Deus querendo e concedendo-me) de produzir Todas as Coisas no Oratório e no Laboratório, até ao fim completo, e de transferir perfeitamente o uso tri-um quer dizer, Divino, Macro e Microcósmico. Fi ao diabo. Deus o queira. Amém.
  • A disposição do Globo das Terras - A constituição do Mundo. Como foi feito o Mundo, ver o versículo 150 com alguns dos seguinte.

    Se tu considerares atentamente a Entidade católico tri-uma, primeira, que está na figura terceira deste Anfiteatro e as suas relíquias que Deus catolicamente pôs e encerrou na massa particular e reservou para o Sábio para os usos Teo-Soficos, tu saberás tratar Físico-Quimicamente no Laboratório; todo o admirável artifício pelo qual o Elohim Criador constituiu (não digo criou) o Mundo, aparecer-te-á.

    Aqui aprende a conhecer o que é a Magnésia Católica do Mundo Católico, dos Filósofos Físico-Químicos. Se tu conheces um, tu conhecerás o outro.

    Então tu compreenderás aquilo que eu anotei nos versículos 28, 157 e 162 e na quarta figura deste Anfiteatro, onde eu tratei do uso tri-um da Pedra Filosófica. Tu não poderás considerar isto a menos que sejas Sábio.

    Por causa da ingratidão do Mundo, eu sou constrangido a lamentar (Deus é minha testemunha) a fechar os meus lábios com o meu dedo.

    No entanto eu fui fielmente útil aos filhos da Doutrina pelas figuras segunda e terceira deste Anfiteatro, e ser-lhes-ei útil ainda por aquilo que se segue. Porque... (ver a continuação no quadro seguinte).
  • As Virtudes dos Elementos - E os frutos que eles produziram, Gn 1.

    Aqueles que te serão ensinados assim como o seu uso Físico-Médico, pela análise Físico-Química preparatória acima citada.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 21 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 20 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
293. → Porque ela é um tesouro infinito para os seres humanos; aqueles que se serviram dela são feitos participantes → da amizade de Deus, e são recomendados → devido aos dons da Disciplina. Sb 7, 14. 293. Porque ela é para os seres humanos um tesouro inesgotável; aqueles que se serviram dela estão unidos por amizade com Deus e são recomendados por causa dos dons da Disciplina.


  • Porque ela é um tesouro infinito, etc. - Porque ela própria é Eterna, Imensa, Omnipotente, Infinita; e os seus tesouros, por esta razão, são inesgotáveis e infinitos.

    Desde o início do mundo ela sempre deu; ela dá hoje e é por isso que ela não quer e não pode deixar de dar com abundância em todas as épocas.
  • A amizade de Deus - Por forma que eles obtenham o desfrutar de Deus Paterno, Fraterno e Amigo do soberano Bem. Ver a segunda figura deste Anfiteatro.

    Porque nós somos criados afim de que conheçamos, contemplemos, amemos e veneremos este Bem supremo, na Sacro Santa Escritura, no Livro da Natureza e no testemunho da Consciência limpa; nele nós somos resgatados afim de que nós desfrutemos para sempre.

    Este único pode preencher abundantemente a alma sempre insaciável do ser humano.

    Ó esta frutuosíssima amizade!

    Nota: Visto que todos os bens que possuem os amigos lhes são comuns, o que não obterá de Deus o ser humano tornado amigo de Deus!

    É necessário esforçares-te Teosoficamente para te tornares amigo de Deus; então, jejuando, Ora em Espírito e em Verdade; então Labora sabiamente nas coisas que ensina este Anfiteatro; e Iahweh mostrar-se-á a ti e dar-te-á sem atraso.

    Porque tu terás obtido a salvação e a amizade de Deus, teu amigo, e da Sabedoria, tua amiga.

    A Sabedoria é a conciliadora da amizade que deve ser instaurada com Deus porque ela junta-se ao ser humano no Temor de Deus e, isto tendo sido feito, ele obtém de Deus de bem querer conhecer, ser e poder nos mistérios Divinos e nos segredos da Natureza (Divinamente, pela influência, a luz e o movimento, ou pelo Mestre Sábio que Deus te envia ou que ele é ele próprio para ti, versículo 32) ver o versículo 249.
  • Devido aos dons da Disciplina - Por causa do Temor de Deus que é o começo da Sabedoria, versículo 210, que nos confia a Deus.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 20 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 19 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
292. E eu rejubilei com todas as coisas, e → porque esta Sabedoria me antecedia e eu ignorava que → ela é a mãe de todas as coisas. Sb 7, 12. 292. Eu rejubilei com todas as coisas, porque a Sabedoria é o seu autor; e eu ignorava realmente que ela própria é a mãe delas.


  • Porque esta Sabedoria me antecedia, etc. - Como se ele tivesse dito: Porque ela estava comigo teoricamente e praticamente, porque ela Orava e Laborava comigo, versículos 261 e 302.
  • Ela é a mãe de todas as coisas - Sumário dos Sumários: Quem não é filho da Disciplina, quer dizer do Temor do Senhor, não tem por irmã nem por esposa esta Sabedoria verdadeira (mãe de todos os Bens e dos Dons de Deus); aquele que não a tem por amiga Ora em vão, Labora em vão, porque não tira a Salvação e a Vontade do Senhor, versículo 329, e, portanto, não será herdeiro dos Tesouros infinitos da Sabedoria.

    Visto que tudo está na redução à simplicidade da Mónada, é preciso portanto lá chegar.

    Ver os versículos 157, 158 e 213, e a segunda figura deste Anfiteatro.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 19 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 18 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
291. → Todos os Bens (atesta o Sábio) Vieram a mim igualmente com (A Sabedoria) ela, e inúmeras honestidades → pelas suas mãos. Sb 7, 11. 291. Todos os bens se aproximaram de mim com e ao mesmo tempo que ela, e pelas suas mãos inúmeras riquezas.


  • Todos os bens vieram a mim, etc. - Ver os versículos 314, 315, 334 e 338.
  • Pelas suas mãos - É por isso que está dito no Salmo 128, 2: Tu comerás os trabalhos das tuas mãos.

    É a torrente redundante, a veia, a fonte da Sabedoria (Pr 14, 4).

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau » 18 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - Sexto grau


VI. GRAU PROLOGÉTICO

Sexta Exposição



[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Sexto grau

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 17 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
290. (Porque) → quem retribui o bem com o mal, o mal nunca se afastará da sua casa. Pr 17, 13 e 3. 290. É como para pôr à prova a prata, é dentro de um cadinho que → Iahweh põe à prova os corações.


  • Quem retribui o bem com o mal, etc. - Assim como a gratidão se alia à verdade e à justiça que Deus ama; assim também a ingratidão é produzida pela mentira e pela injustiça.

    Visto que ele odeia muito fortemente os seus males e os detesta soberanamente, ninguém duvida que os ingratos devem ser punidos por Deus.

    E esta frase de Xenofonte é digna de memória: Os Seres Humanos que não estão acostumados à gratidão para com aqueles que merecem bem, são depois ingratos para com Deus.
  • Iahweh põe à prova os corações - Ele escrutina igualmente os corações e os rins pelo Fogo da cruz e das tribulações. Porque o Fogo põe à prova todas as coisas.

    E se Deus encontra o coração fiel, certamente revelar-lhe-á os seus segredos e atribuir-lhe-á os seus dons e os seus bens: Ele sabe quando e onde é necessário abençoar ou opor-se: (Er wetsz wolwenn und wo er soll segnen aderhinderen).

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Quinto grau » 17 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 16 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
289. → Não faças (portanto) mal ao teu amigo visto que ele tem confiança em ti. Pr 3, 29. 289. Não penses portanto mal contra o teu amigo visto que ele está em segurança contigo.


  • Não faças mal, etc. - O Espírito imbuído da verdadeira Sabedoria, e filho de Sofia, é o Médico e não o destruidor da sociedade humana.

    Porque a alma capaz de Sabedoria generosa é a amante da verdade e da justiça, a inimiga verdadeiramente de toda a sofística e injustiça.

    É necessário sobretudo usar de uma perfeita equidade (epieikeia) para com os delitos secretos do próximo os quais é necessário esconder e corrigir; não se deve criar-lhe novas ciladas e novos males.

    Nenhuma ferida é mais cruel, diz Sófocles, do que ser enganado por um amigo. Frequentemente o amigo é pernicioso.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Quinto grau » 16 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 15 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
288. → Muitas pessoas são chamadas de misericordiosas; mas uma pessoa fiel, quem (facilmente) a encontrará? Pr 20, 6. 288. Uma multidão de pessoas onde cada uma prega a misericórdia; mas a pessoa sincera, quem a encontrará?


  • Muitas pessoas são chamadas de misericordiosas, etc. - Quer dizer muitas pessoas são chamadas de santas e passam por tais, mas o verdadeiramente bom e fiel, quem o encontrará?

    Porque só Deus considera os corações dos seres humanos e distingue todas as coisas guardadas e simuladas das coisas sinceras e verdadeiras.

    É portanto prudentíssimo que é necessário conviver com os seres humanos.

    Porque não há maior mal na amizade que a adulação, a lisonja e a aquiescência.

    Sob qualquer nome que seja, este vício deve ser destruído; tudo aquilo que dizem as pessoas ligeiras e falsas é com vista à voluptuosidade; nada para a verdade. Cícero, em Laelia.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Quinto grau » 15 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 14 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
287. → Quem revela os mistérios e caminha fraudulentamente e dilata os lábios, não te mistures com ele. Pr 20, 19. 287. Quem revela o segredo, avança fraudulentamente e com aquele que seduz pelos lábios, não te mistures.


  • Quem revela os mistérios, etc. - Todo aquele que aspira às coisas mais secretas, quer divinas quer naturais, é necessário que ele se sujeite à constância, à gravidade e à taciturnidade.

    É para estes que os Anjos bons são reveladores dos Mistérios; eles fogem para longe de todos os inconstantes, ligeiros e faladores.

    Portanto tu também, filho da Sabedoria, foge das pessoas ligeiras e faladoras com receio de que tu próprio não venhas a caminhar para a morte.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Quinto grau » 14 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 13 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
286. Quem caminha fraudulentamente revela os arcanos; → mas quem é fiel oculta a coisa confiada pelo seu amigo. Pr 11, 13. 286. Quem caminha fraudulentamente revela o segredo, mas o fiel de espírito oculta a coisa.


  • Mas quem é fiel - Pela fé, a oração e a taciturnidade são adquiridos muitos dos mistérios celestes e dos arcanos naturais.

    É por isso que Isaías canta (Is 24, 16): O meu segredo é para mim, o meu secredo é para mim.

    E David (Sl 51, 8): as coisas incertas e ocultas da Sabedoria foram-me manifestas a mim.

    É por isso que o Apóstolo S. Paulo diz ainda (Cl 2, 3): Em Cristo Jesus, todos os tesouros da Sabedoria estão escondidos.

    Peçam portanto, procurem, batam.

    São as palavras arrêta, mistérios inefáveis, do paraíso e do terceiro Céu das quais fala o Apóstolo (2Cor 12, 4).

    É uma excelente virtude o guardar o silêncio,
    Pelo contrário uma grave falta o falar daquilo que se deve calar.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Quinto grau » 13 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 12 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
285. Compreender-se-á a criança → pelas suas inclinações, tão puras e retas são as suas obras. Pr 20, 11. 285. E a criança será conhecida pelas suas obras, tão pura e reta é a sua obra.


  • Pelas suas inclinações - Pelas suas ações, enquanto assinaturas e carateres naturais.

    NOTA: As pessoas grandes e ilustres são suscitadas de três modos:

    1. Um fogo de uma natureza extraordinária é divinamente excitado neles e pelo qual eles são levados a realizar coisas gloriosas e que os designa e os faz brilhar desde a sua primeira juventude, como se vê no Patriarca José, em David, Salomão, Daniel, Josias, etc. Estes são escolhidos dentro do útero materno para serem os instrumentos da Divina providência e os órgãos das obras de Deus.

    2. A influência natural dos astros e os frutos dos astros, sempre que eles chegam à maturidade, devem apresentar ao mundo algum benefício natural, e o produto dos seus tesouros (porque toda a Sabedoria natural está nos astros); eles designam portanto, desde este princípio da sua concepção uma naturalidade qualquer de onde eles formam pessoas ilustres em diversas artes, segundo as diversas faculdades e as diversas funções nas quais eles se ocupam.

    É o que canta o Poeta:

    O génio celeste surge, mais rápido do que os seus anos,
    E suporta com dor a fuga do tempo.

    3. O Céu é às vezes interno dentro do Ser Humano, que é então iluminado pelo Espírito Santo ou por dons singulares do Espírito Santo, adquiridos pela Fé e pela Oração. Aqui está escondido o Espírito cabalístico e a escola da subtil filosofia Teofrástica.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Quinto grau » 12 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 11 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
284. → Na face do prudente brilha a Sabedoria; os olhos dos loucos estão nos confins da Terra. Pr 17, 24. 284. No olhar do inteligente aparece a Sabedoria; e os olhos do louco estão na extremidade da Terra.


  • Na face do prudente, etc. - Quer dizer: o rosto do Sábio é modesto e os olhos inconstantes dos loucos circunvagam e são índices de ligeireza; porque o rosto é o espelho da alma.

    Tal como nas águas resplandece o rosto daqueles que lá se observam, assim os corações dos seres humanos são manifestos aos prudentes. Pr 27, 19.

    E conhece com cuidado o estado das teus ovelhas, e considera os teus rebanhos, Pr 27, 23.

    A Sabedoria do ser humano brilha no seu rosto, e o Potentíssimo muda de face, Eclo 8, 1.

    Portanto explora Metoposcopicamente, Fisigomonicamente, Quiromanticamente os seres humanos, os discípulos, como anteriormente Pitágoras.

    Assim como todas as coisas criadas foram pintadas e ornadas pela Natureza com certos sinais e notas e são assim os divinos portadores da insigne Natureza, numa certa proporção figura e medida, é por isso que se pode pronunciar um julgamento sobre espírito interno e latente e sobre as propriedades ocultas das coisas; do mesmo modo esta propriedade oculta das coisas e este espírito latente manifestam-se eles próprios por alguns sinais certos e por marcas externas, e de acordo com a sua natureza e o seu caráter imprimem uma assinatura, figura, proporção e índice, tal como os Sábios podem reconhecer; estas Assinaturas são o começo e como que o alfabeto e o primeiro elemento da Magia Natural.

    Assim principalmente estes sinais devem ser conhecidos no rosto e nos hábitos do ser humano.

    Porque a assinatura de toda a natureza se encontra no Micro-Cosmo.

    Estes caracteres e notas hieroglíficas da Natureza possuem um sentido e uma explicação pela qual elas podem ser judiciosamente compreendidas pelos Sábios e peritos nesta escrita e literatura natural.

    Porque a Natureza nunca mente nem dá um falso testemunho dela própria; ela não desilude os seus investigadores; por forma que eles aprendem perfeitamente a compreender esta escrita.

    O Céu tem os seus sinais; o Fogo, o Ar, a Água, a Terra, os Vegetais, os Animais, os Minerais, os Metais têm as suas assinaturas; os Anjos têm as suas marcas; todos os Profetas, todos os Apóstolos, todos os Santos; mesmo o Salvador ele próprio tem o sinal do Filho do Homem, a figura da Cruz.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Quinto grau » 11 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 10 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
283. → O derrisório (com efeito) procura a Sabedoria e não a encontra; a Doutrina dos prudentes é fácil. Pr 14, 6. 283. O derrisório procura a Sabedoria e não a encontra; mas a ciência é fácil de encontrar para o inteligente.


  • O derrisório procura, etc. - A pessoa de caráter céptico e escarnecedor não é de modo nenhum capaz da Sabedoria.

    Porque a Sabedoria ama a alma simples e ávida de aprender; ela alimenta-a com mel e com favo de mel, e embriaga-a com o néctar da Sabedoria.

    A Alma apta para a cognição, diz Ptolomeu, está mais próxima da verdade que aquela que se exercita na ciência com todo o ardor possível.

    Esta aptidão do espírito é um dom celeste; e é rezando que ele se adquire.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Quinto grau » 10 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 9 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
282. → Não repreendas o derrisório com receio de que ele te odeie; ensina o Sábio e ele te amará. Pr 9, 8. 282. Portanto não repreendas o derrisório, com receio de que ele te odeie; repreende o Sábio e ele te amará.


  • Não repreendas o derrisório - Laterem enim vel Æthiopem lavabis, tu lavarias o tijolo ou o negro (provérbio popular), tu perderias o teu tempo e o teu esforço.

    Recorda-te do que dizem os Alemães: O Diabo misturou os loucos todos juntos; seria necessário perder muito tempo para empreender a sua instrução porque todos os loucos crêem que são sábios. Evita-os.

    Tem cuidado de não dares aos cães o que é santo.

    Os Epicuristas e os ateus tornam-se mais furiosos quando são repreendidos; pelo contrário, os piedosos e os dóceis que temem Deus desfrutam da Sabedoria e de muitos outros dons excelentes.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Quinto grau » 9 de Outubro

Anfiteatro da Sabedoria Eterna - 8 de Outubro


Versão antiga ou Vulgata Passagens citadas da Sacro Santa Escritura Nova tradução dos Provérbios a partir do hebreu, e da Sabedoria a partir do grego
281. Porque → aquele que instrui o derrisório injuria-se a si próprio, e quem repreende o ímpio coloca uma nódoa em si próprio. Pr 9, 7. 281. Quem corrige o derrisório, recebe ele próprio a ignomínia, e quem repreende o ímpio recebe ele próprio a sua nódoa.


  • Aquele que instrui o derrisório - É necessário portanto examinar prudentemente quais são aqueles aos quais nós confiamos os mistérios, os arcanos e os segredos; com receio de que o diabo não suscite o cuco ingrato.

[ Anterior ] [ Índice ] [ Seguinte ]


Início » Textos » Anfiteatro » Quinto grau » 8 de Outubro